Resiliência: é um grande sinal de caráter?

Vamos hoje falar sobre resiliência, e sua importância na vida de todos!

A resiliência deve ser praticada por todos , não é? Apesar das dores de uma vida difícil e das piores experiências imagináveis experimentadas, algumas pessoas ainda conseguem sim se recuperar e alcançar a felicidade, enquanto outras se afundam em profunda tristeza e depressão, quando se deparam com o menor evento negativo que seja. Essa capacidade de conseguir se recuperar na vida é a famosa resiliência. É inato ou é possível desenvolvê-la? E se sim, quais as melhores dicas para alguém se tornar mais resiliente, e assim finalmente reconhecer as coisas boas da vida?

Resiliência: é um grande sinal de caráter?

O conceito de resiliência


A “resiliência” diz respeito principalmente ao campo da ciência que trata da parte física. Ele denomina a capacidade dos corpos físicos estudados (células, moléculas, etc.) de resistirem aos diversos choques ambientais e ainda sim conseguirem retornar à sua forma e propriedades originais.

Esse é um termo novo. Foi somente nos anos 40 que esse conceito foi aceito, adaptado e também aplicado no mundo da psicologia. Ela quantifica a maior ou menor capacidade dos humanos de conseguirem lidar com episódios que trazem sofrimento na vida, como por exemplo: doença, luto, precariedade, violência, abuso, etc.

Podemos classificar uma pessoa como resiliente quando, no lugar de negar eventos ou mesmo se afundar em tristeza e depressão por causa dos fatos ocorridos, ela consegue lidar com esses eventos, consegue se destacar por suas experiências, e assim permanecer otimista e confiante na vida.

O mecanismo de resiliência


A resiliência não implica uma negação da adversidade, do problema enfrentado, e que se aja como se nada fosse capaz abalar uma pessoa. Pelo contrário, é sempre recomendado enfrentar tais eventos. É um processo dinâmico, diferente em cada pessoa, que se estende por um longo ou mais curto período de tempo, e traz a possibilidade para que a pessoa em questão passe por suas provações e até mesmo aprenda algo novo. Os diferentes estágios que uma pessoa resiliente passam geralmente são:

  • Uma revolta interior contra o fato ocorrido: “Eu não devo me deixar ser prejudicado por isso que aconteceu, então devo encontrar uma solução. “
  • Um desafio novo imposto para si mesmo: “Se (ou mesmo quando) eu conseguir sair desse problema, realizarei este ou aquele sonho. “
  • Um desejo de ser forte, constante e duro diante do ocorrido, mesmo quando por dentro se sente fraco, arrasado, sem esperança.
  • Um grande senso de humor: em vez de ficar sentindo pena de si mesmo, a pessoa resiliente conseguirá brincar com seu trauma, a não se ver como vítima do ocorrido, e também a se comparar sempre com indivíduos que têm menos sorte.
  • Uma prática que pode focar emoções: seja através das diversas formas de artes (escrita, pintura, etc.), espiritualidade ou mesmo esportes radicais, a pessoa resiliente quase sempre encontra uma maneira de manifestar seus sentimentos.


Resiliência: inata ou adquirida?


Não há desconforto causada pela tentativa de desenvolver resiliência, o que significa que qualquer pessoa possui a capacidade de desenvolver tal capacidade, útil no enfrentamento de eventos negativos. Porém, vários estudos científicos têm mostrado que a produção de hormônios considerados eufóricos (dopamina, serotonina) é maior nessas pessoas, até mesmo nas primeiras horas de vida, em alguns bebês. Esse simples fato demonstra que nem todos temos as mesmas armas disponíveis diante da adversidade.

Além disso, alguns outros vários fatores possuem um papel importante na resiliência aos eventos. A grande maioria desses fatores começa na infância. Assim, será mais fácil conseguir desenvolver mecanismos de autodefesa eficientes, diante dos problemas dos primeiros anos de vida, por exemplo:

  • Um ambiente familiar totalmente seguro: sentimento de confiança plena, pais sempre presentes e que demonstram união (mesmo após uma separação, por exemplo), um forte relacionamento com a mãe, sentimento pleno de amor e segurança.
  • Uma força de vontade de buscar a alegria: mesmo quando são muito jovens ainda, podemos perceber que algumas crianças são quase sempre felizes com tudo o que acontece com elas.
  • Um ambiente que traz confiança: a família desempenha um papel vital, desdo começo da vida, mas isso não é tudo. As primeiras amizades formadas nas escolinhas, e mesmo os educadores e professores do jardim de infância podem influenciar muito a auto-estima e também a capacidade de ver a vida sempre pelo lado positivo.
  • As estatísticas relevantes mostram que uma pessoa que conseguiu viver nessas condições citadas acima terá um caráter resiliente maior que a média, mas também não deve ser generalizado a todos. Sendo assim, ainda é comum que uma pessoa que tenha todos os pré-requisitos citados para o desenvolvimento da resiliência possam passar por problemas complicados, enquanto outros conseguem desenvolver mecanismos de autodefesa eficientes, e o desenvolvimento de uma força de caráter que lhe permita sair de todas as situações.

Podemos desenvolver resiliência?


A experiência passada e a história pessoal de cada pessoa desempenham um papel vital na capacidade de desenvolver a resiliência pessoal e assim enfrentar as provações da vida, mas essa história pessoal, precisamente, não está fixada em um lugar pontual na vida. Ela se desenvolve com o passar dos anos, e é possível assim desenvolver novamente a confiança em si mesmo, na sua vida e em seu entorno à medida que nos tornamos mais velhos. Algumas pessoas têm bases mais firmes e, digamos, mais sorte que outras. Contudo, não é porque se teve uma infância difícil que não se pode mudar a maneira de ver a vida de forma positiva. Isso às vezes requer mais esforço e envolvimento pessoal em algumas pessoas, mas é possível desenvolver a resiliência sempre.

Coisas para viver resiliência todos os dias


Embora leve tempo e nem sempre seja fácil, especialmente para algumas pessoas, é possível reforçar em nossa capacidade de lidar com a adversidade, com os problemas trazidos pela vida. A primeira (e mais importante) coisa a fazer é não se ver como uma vítima do problema … A resiliência irá aparecer se você colocar vontade suficiente, para enfrentar o problema, para isso podemos citar:

  • Procure sempre ter auto-confiança, auto-estima, sempre
  • Tente estar sempre otimista, mesmo quando o problema parecer maior que você, para conseguir ver o lado bom das coisas
  • Encontre significado em cada etapa da sua vida, tenha objetivos claros em todas elas
  • Seja flexível com as mudanças, e se mantenha sempre entusiasmado com elas
  • Fique sempre perto de pessoas positivas, alegres, que nos ensinam coisas e nos encorajam sempre
  • Tenha uma prática espiritual religiosa e também meditativa, seja o problema que for… o que é sempre vital acima de tudo é colocar nossos problemas apenas em perspectiva no mundo ao nosso redor, nunca em primeiro plano
  • Tente ser agradecido pelo que temos em vez de ficar apenas reclamando do que não temos
  • Fazer bem para as pessoas que estão perto: o voluntariado é uma ótima maneira de não sentir pena de si mesmo, e enxergar o mundo com outros pontos de vista
  • Aceite que por mais que queremos, nem sempre podemos mudar as coisas
  • Não tenha medo de ficar sozinho: devemos ver esses momentos como etapas da vida que nos estimulam a nos conhecer melhor
  • Procure desenvolver sempre sua criatividade: não somos todos artistas inatos ou multi talentosos, mas somos todos criadores, de certa forma
  • Mantenha seu senso de humor em todas as situações: o riso é uma das coisas mais poderosas que um humano pode fazer, e aprender a rir em todas as situações literalmente muda a forma como vemos as coisas.


Para finalizar, gostaria de citar Dr. Boris Cyrulnik, um respeitado psiquiatra e psicanalista, que concentrou a maior parte de sua pesquisa no conceito de resiliência. Ele diz que

“o infortúnio não é um destino, nada é irremediavelmente inscrito, podemos sempre escapar. Então, há esperança para cada pessoa, desde que você coloque um pouco de si mesma nela!

Quais são suas maneiras de desenvolver a resiliência diariamente? Comente abaixo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *