Menina deitada

Por que boas garotas nem sempre conseguem tudo?

A paternidade, desde a infância, inspira as crianças que existem atitudes do bem e do mal. Quase no berço, fomos informados do que fazer essa ou aquela coisa, não deveria ter ser sido feita.

Absorvendo as regras quase como o leite da mãe, na vida adulta habitualmente agimos de acordo com elas. A imagem do mundo, assim como a compreensão do positivo com o negativo, já se desenvolveu, respectivamente, correlacionamos cada evento com nossa própria opinião, tiramos conclusões e as seguimos.

Quem são as boas meninas?

Muitos conhecem os comentários dos pais desde a infância: as meninas não correm no quintal com um graveto nas mãos, como pequenos moleques, não se sujam da cabeça aos pés, jogando jogos de guerra ou construindo fortalezas a partir de areia.

Em uma palavra, as meninas devem se comportar bem – serem obedientes, ajudar mães e pais. Familiar, certo? E isso segue na idade adulta. As representantes corretas são as senhoras modestas e caladas.

Elas são econômicas, sérias e essa é a garantia de uma vida feliz e bem-sucedida. Pelo menos, mães inspiradas na infância, ensinando suas filhas a cozinhar ou bordá-las com uma cruz.

O problema é que, confiante no bem-estar futuro, ajustando a própria vida aos padrões dos pais, a menina cresce, se transforma em mulher e fica confusa que as regras não funcionam.

Mulher bem sucedida
Mulher bem sucedida

As razões do infortúnio das meninas “certas”

Não são dezenas, nem centenas, mas milhares de “boas meninas” de todas as idades, status social, religiões e outras categorias aparecem regularmente em uma recepção com psicólogos. Mas o que os une é que, infelizmente, eles não são felizes.

É claro que toda pessoa tem suas próprias razões de vida, mas há algo em comum que impede todas as mulheres certas de viverem em harmonia consigo mesmas e conseguirem o que querem:

  • o hábito de ser “confortável” para os outros, especialmente para os parentes. De fato, isso significa ceder aos interesses dos outros em detrimento de si mesmo,
  • seriedade excessiva
  • medo de se desviar das regras
  • medo de condenação e censura.

Infelizmente, essas atitudes de vida quase inevitavelmente levam ao aparecimento de uma massa de complexos. A dúvida e a baixa auto-estima são apenas “a ponta do iceberg”. 

Então, é de admirar que a felicidade, neste caso, não esteja à mão? Boas meninas não conseguem muito do que querem. Para viver com calma, feliz e confortavelmente, você precisa trabalhar duro. Além disso, trabalhar em si mesmo não é uma tarefa fácil, mas agradecida.

Relacionamentos

Entre as meninas criadas nas melhores tradições, dificilmente é possível encontrar muitas que ocupam cargos altamente remunerados e promissores, ou que possuem seus próprios negócios. Menos mulheres nessa categoria serão casadas com sucesso e felicidade. Se você analisar, há várias razões.

Em primeiro lugar, a adesão estrita às regras desencoraja a iniciativa e a independência. Em uma situação difícil, a garota pensa no que é “certo” a fazer, ela nem tenta encontrar a melhor saída.

É improvável que o hábito de ser “confortável” para todos faça de uma mulher uma personalidade brilhante e carismática. Portanto, ela não será muito popular entre os membros do sexo oposto. Modéstia excessiva, até constrição, é cantada apenas por poetas nos livros, mas não por homens comuns na vida cotidiana.

A dúvida e o medo de fazer algo errado não são as melhores qualidades para se desenvolver no campo profissional e subir na carreira. E, ao lidar com o sexo oposto, eles não são particularmente úteis.

E eles também ensinaram boas meninas a conter emoções fortes. Como regra, eles são privados da menor parte do imediatismo. Certamente, nunca fazer birras ou escândalos é bom, mas não dar vazão às suas emoções é ruim e prejudicial.

Moralmente esgota e suprime, tornando uma pessoa predisposta à depressão. A restrição é percebida em algumas situações como constrição, em outras – como miopia. Ambos não são bons.

mulher bem sucedida com filhos
mulher bem sucedida com filhos

Boa menina: uma opção moderna

Permaneça boa, mas, ao mesmo tempo, conseguir o que você quer da vida pode ser alcançado. Tudo o que é necessário é simplesmente reconsiderar sua compreensão de “correção”. Você não vive para ser útil ou confortável para os outros.

O objetivo da sua existência é o seu bem pessoal. Portanto, não se deve procurar agradar a todos ou ter medo de causar transtornos a outras pessoas.

Além disso, as regras foram inventadas por pessoas como você. Então, alterá-los, ajustando-se à sua vida, não é apenas ruim, mas muito útil. Além disso, não existem dicas ou normas universais de comportamento; portanto, você precisa agir, dependendo da situação, das circunstâncias e de acordo com seus objetivos.

É muito importante aprender a definir metas e segui-las. O egoísmo e a determinação saudáveis ​​não farão de você um objeto de censura, mas apenas o ajudarão a encontrar sua própria felicidade. Devemos ser capazes de obter sucesso e tirar conclusões de situações em que algo não deu certo.

Ao mesmo tempo, sua própria opinião deve servir como orientação, mas não o ponto de vista das pessoas ao seu redor ou a compreensão do “bem” imposto a elas.

Post criado 297

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo