Como lidar com surtos agressão das crianças

criancas brigando

Eu tenho medo que meu filho cresça como um valentão. Como lidar com surtos descontrolados de agressão em crianças?

Surtos não controlados de agressão em crianças são um problema familiar para muitos pais.

“O valentão está crescendo” – suspira mães e pais. Mas por que as crianças fazem isso? Por que eles não podem parar e controlar suas emoções?

Por que eles passam rapidamente de palavras para ações e a troca de ameaças se transforma em uma luta nojenta?

filho se sentindo triste
filho se sentindo triste

De onde cresce a raiva?

Há duas razões principais para esse comportamento.

1. É assim que o cérebro de uma criança funciona: os processos de excitação prevalecem sobre os processos de inibição. A criança não pode se controlar fisiologicamente, ela não desenvolveu tal função

As razões para essa função cerebral específica são: lesões no nascimento, distúrbios do desenvolvimento, gravidez difícil, lesões no primeiro ano, estresse, estilo de vida saudável dos pais antes da concepção e durante a gravidez.

2. Esse comportamento é resultado de uma longa e diligente “educação” na família.

A criança vive em uma família disfuncional (ele adota o modo de comunicação entre os pais), mãe e pai são muito rigorosos, apresentam exigências excessivas a ele.

Uma causa comum de mudanças comportamentais é o abuso físico: para uma criança, ele conclui que os fortes podem fazer qualquer coisa.

Como ajudar seu filho a se controlar?

É importante entender aqui que os métodos para ajudar uma criança dependem da causa raiz desse comportamento.

Se dizemos que a criança sofreu uma lesão e simplesmente não controla seu comportamento, ela precisa da ajuda de um especialista. Somente um psicoterapeuta nas classes corretivas será capaz de eliminar ou suavizar a situação.

Se surtos de agressão são o resultado da educação, vale a pena assumir o controle com as próprias mãos e oferecer ajuda à criança.

1. Permita que a criança expresse emoções, discuta situações problemáticas sem avaliação e crítica.

2. Reduza cargas adicionais: círculos, seções.

3. Siga a rotina diária durante a semana e fins de semana. Estabilidade e rotina são muito importantes.

4. Recuse o método de “policial do bem e do mal”. Uma criança não pode ser treinada: as pessoas são mais complexas que o cachorro.

filho deixado de lado
filho deixado de lado

Se você castiga uma criança – escolha métodos gentis e explique o motivo.

Os dispositivos eletrônicos também precisam ser limitados: de um ano e meio a três anos – não mais de 30 minutos por dia, de três a cinco – até 50 minutos, de cinco a oito – até duas horas. A criança não deve sentar-se no computador por 24 horas

5. Melhore o relacionamento com a criança, aderir à regra de “portas fechadas” não funciona.

6. Ensine seu filho (filha) a “aliviar” o estresse emocional (agressão, raiva, raiva) sem brigas. Escreva-o na seção de esportes, ande mais, permita que ele bata no travesseiro, deixe a criança falar sobre o que a preocupa.

7. Recuse-se a discutir com professores, tutores e parentes na presença de uma criança.

8. Ao escolher o lazer para uma família, seja guiado não apenas pelas suas preferências, mas também pelos desejos de seu filho (filha).

9. Tente ocupá-lo com ações úteis e interessantes – então não haverá forças para agressão.

10. Estabeleça tradições e rituais familiares, leve um estilo de vida ativo.

Se você quiser ajudar seu filho a superar surtos descontrolados de agressão, tente entender o que ele está sentindo agora.

Não deixe seu filho se afogar ou negar suas emoções, apenas ensine como direcionar raiva ou energia na direção certa

A criança não controla essas condições, é refém da situação e, em seguida, os adultos a acusam de todos os pecados mortais!

Pense por si mesmo: o que está acontecendo na alma de uma pessoa pequena que quer ser boa e atender às expectativas, mas não pode – e por isso ela é repreendida e ofendida?

Nem todo adulto pode suportar. Ame seus filhos, mostre atenção e cuidado – e tudo ficará bem em sua família!

mulher cansada com o filho
mulher cansada com o filho

Meu filho borrifa areia nos outros e briga: o que devo fazer? Playground: regras de conduta para os pais

Era uma vez uma boa mãe no mundo. É verdade que, por algum motivo, ela não se considerava boa, e apenas por esse motivo, tudo deu errado para ela, como para outras mães.

Por exemplo, ela queria brincar em silêncio e com calma na caixa de areia com o filho, mas não funcionou: ou uma criança inquieta foge, alguém chama o telefone, então as crianças brigam por uma escápula …

Ela quer pelo menos uma hora para descansar das tarefas domésticas: sair com um bebê para brincar, sentar em um banco, respirar ar fresco, ouvir o canto dos pássaros … E novamente nada sai!

Outro brigão aparece no local, o filho esquece todas as instruções e mede a profundidade da poça mais próxima ou o vizinho inculto na caixa de areia começa a espalhar areia em todas as crianças.

E nossa mãe está girando como um esquilo em uma roda: você não pode sentar em casa ou relaxar no parquinho. Como ser

Comportamento na rua

É importante entender que o pátio infantil é um lugar onde suas próprias leis de psicologia e comunicação se aplicam.

Vamos examinar as características do comportamento das crianças no quintal e descobrir como facilitar a vida não apenas para esta mãe, mas também para muitas outras.

Os pais precisam saber uma coisa muito importante: o comportamento da criança no parquinho é a implementação de um modelo de comportamento em casa.

Por exemplo: se em casa a criança está acostumada a receber tudo o que deseja – na plataforma, pode, sem remorso, tirar brinquedos de outras pessoas

A criança costuma ouvir críticas e censuras nas ocasiões mais insignificantes em casa? Provavelmente, ele não será capaz de revidar na rua, ele permitirá que outras crianças apanhem seus brinquedos.

Uma criança é abusada em casa? As crianças que sobreviveram ao castigo físico podem espancar outras pessoas na quadra, arriscar suas vidas, subindo perigosas barras horizontais não maiores de idade.

Claro que você faria! Afinal, eles não sentem o valor de sua vida, o que significa que não entendem a importância da vida e da saúde de outras crianças. Para evitar conflitos durante a sua estadia no parquinho, oferecemos as seguintes recomendações.

1. Recusar críticas à personalidade da criança, é melhor falar sobre as consequências das ações.

Não leia anotações sobre ninharias, é um dado adquirido: uma criança pode ter seus próprios brinquedos e não é obrigada a compartilhá-los.

Portanto, se o bebê não quiser trocar as omoplatas ou dar a scooter a outra criança – não force.

É melhor explicar em um ambiente descontraído que compartilhar ou compartilhar brinquedos é bom, porque ninguém quer ser amigo dos gananciosos.

2. Se é importante para você que a criança faça amigos no site, aprenda a se comunicar e compartilhar com sucesso, basta levar: bolhas de sabão (você deixa as crianças se juntarem), balões, brinquedos de reposição que seu filho concorda em compartilhar, brinquedos – duplicadores (o mesmo, mas o brinquedo pessoal do seu filho está assinado).

3. Se você sabe que há uma briga no parquinho, existem duas opções:

  • evitar caminhadas nas articulações;
  • explique à criança que todas as crianças são diferentes e é importante não poder se envolver em um conflito aberto.

4. A criança grita e anda histericamente pelo playground se não lhe é permitido andar de bicicleta?

Você sempre pode tirar a criança do site ou distrair sua atenção. Parar uma caminhada é um incentivo poderoso para a criança pensar em suas ações.

Mamãe precisa explicar pacientemente que existem certos padrões de comportamento e que outras pessoas não são obrigadas a suportar seus gritos.

5. É importante ensinar a criança a agir de forma consistente e esperar. Essas habilidades serão úteis quando ele tiver que esperar sua vez de descer a colina ou andar em um balanço.

Todo mundo sabe que, descendo a colina, a criança deve se afastar para não se machucar, mas devido à idade, as crianças não entendem as consequências de suas ações.

Se você já tentou de tudo e o filho (filha) não entendeu nada, tente criar uma situação em que a criança possa sentir as conseqüências de suas ações. O conhecimento de regras simples de segurança protegerá seu filho de ferimentos e quedas.

Se a mãe aprende essas regras simples de comportamento no parquinho, em uma caminhada, ela pode não apenas relaxar, mas também aproveitar a vida e a paternidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assuntos relacionados