mulher com filho pequeno

Como criar um filho sozinha

 Características de criar um filho em uma família incompleta

De acordo com as normas sociais, uma família incompleta consiste em um pai que cria um ou mais filhos.

Na prática, muitas vezes acontece que nas famílias em que há ambos os pais, apenas um deles está envolvido no desenvolvimento da criança.

Ao mesmo tempo, como em uma família com um dos pais, a esfera do desenvolvimento da personalidade – masculino ou feminino, dependendo do sexo da criança, sofre bastante.

É importante que a criança aprenda a entender o sexo oposto, assim como a si mesma. Conhecer as características do comportamento, reações, acostumadas a um papel específico na sociedade.

Isso é necessário para que a menina, tornando-se mulher, não assuma o papel de homem, trabalhando de manhã até tarde da noite, levantando pesos e martelando unhas, perdendo sua feminilidade e atratividade para os homens.

Se o menino escolher o papel errado para si mesmo, suas aspirações serão direcionadas mais para o papel feminino – gentileza, passividade, descuido.

Características da educação

Para evitar isso, a educação de crianças de diferentes sexos tem características próprias.

Um menino se torna mais forte e mais corajoso quando um dos pais apóia seus esforços para mostrar força, dando-lhe a oportunidade de carregar sacolas da loja, abrir e segurar portas e dar lugar a uma menina, senhora, avó.

Mamãe, que coloca o menino em um assento vazio no ônibus, permanece em pé ao lado dele, acostuma a criança ao pensamento: “Eu sou fraco. E a mulher é mais forte que tudo!

Naturalmente, em um estado adulto, um menino se comporta de uma posição de impotência em relação às mulheres, incluindo sua mãe.

Quando o garoto fez algo que simpatiza com você, é importante notar isso, dizendo: “Muito bem. Obrigada

A diferença na manifestação de ternura em relação a crianças de diferentes sexos é diferente.

Ao mostrar amor por um menino, lembre-se sempre de que ele é principalmente uma parte forte da humanidade e, portanto, a mãe costuma acariciando sua cabeça, beijando, abraçando e dizendo palavras afetuosas; em primeiro lugar, desenvolve a infantilidade da criança – a ausência de assumir responsabilidade por si mesma, segundo, não permite que ele mostre seus pontos fortes.

mulher ensinando filho
mulher ensinando filho

Para que uma garota desenvolva suavidade, sensualidade e bondade, a manifestação de amor por ela deve ser constante, tudo dependendo de suas realizações e feitos.

Qualquer que seja o relacionamento entre os pais, para um filho, mãe e pai permanecerão para sempre.

Portanto, para sua feliz vida familiar no futuro, é importante acostumar-se ao fato de que o sexo oposto, com características próprias, é amigável, honesto e fiel.

Esse conhecimento e crenças são retirados da opinião dos pais que o educam.

Na maioria das vezes, mamãe e papai desempenham o papel de um “policial do bem e do mal”. Isso significa que um repreende, o outro suporta.

O método da cenoura e da vara funciona se você não dobrá-lo em lugar nenhum. Por exemplo, ao permitir tudo, você pode subseqüentemente tropeçar em uma completa desobediência da criança, pois ela não estará ciente dos limites e saberá sobre a estrutura do que é permitido.

Se, pelo contrário, o pai mostra agressão, mais tarde ele recebe uma criança fechada e desapegada que aprende a mentir e começa a evitar o contato com outras pessoas.

É importante manter o equilíbrio em todos os lugares. Por um ato que tem sérias conseqüências, a criança é responsável e treina a habilidade oposta em si mesma.

Ele trouxe um duelo – corrigido, enganado – encontrou a oportunidade de admiti-lo.

Para que a criança aprenda algo novo dos pais, deve haver confiança entre eles

Isso só é possível quando uma criança recebe apoio, amor e compreensão de suas histórias, sonhos, desejos.

Em uma família incompleta, os pais tiveram uma oportunidade única de desempenhar o papel de pai e mãe, o que lhe permite elevar as qualidades mais importantes para essa criança.

Como criar um menino como um homem de verdade, se não houver exemplo digno na família

Desde a infância, traçamos para nós mesmos uma imagem clara de uma família feliz – esposa, marido e filhos. Ninguém quer esperar sozinho pela velhice ou criar um filho sem pai.

É uma pena, mas as estatísticas arruinam completamente essa imagem perfeita.

Em cada terceira família russa, uma criança é criada por um dos pais, e o número de mães solteiras ucranianas cresceu 22 vezes desde a década de 2000. Agora não discutiremos as causas dos divórcios em massa, mas falaremos sobre suas principais vítimas – filhos que crescem sem pai.

Garoto, onde está seu pai?

E é importante que meninos e meninas cresçam em uma família de pleno direito. A filha aprende a feminilidade da mãe e vê o papa como um cavaleiro grande e forte, cuja imagem correta ela procurará em seu futuro marido.

O filho aprende com o pai da masculinidade, e a mãe se torna para ele um ideal feminino, um protótipo de sua futura esposa. Como você pode ver, um dos pais é responsável pela personalidade da criança e o segundo pela imagem de seu parceiro ideal.

Uma filha criada por sua mãe será capaz de obter sucesso na vida por conta própria, mas um jovem que passou toda a sua vida sob a asa de sua mãe corre o risco de estar no fundo da “cadeia alimentar” de nossa sociedade cruel.

Embora os tempos e a moral estejam mudando, o núcleo interno ainda tem um enorme impacto na vida de um homem.

Preste atenção aos ídolos masculinos de nosso tempo e aos que admiravam a humanidade há 100, 200 anos. Muita coisa mudou, mas uma coisa permaneceu inalterada – a coragem foi, é e continuará na tendência.

Do sucesso nos negócios ao sucesso na cama, é necessária coragem para que o sexo mais forte alcance 100% do potencial.

A solução para todos os males

Mães que têm que criar seu filho sozinhas não param de repetir: “O menino não tem pai, nunca se tornará homem”.

E enquanto eles não param de dirigir em um mecanismo de busca: “… criar um filho, como criar um homem de verdade …”

Eles não estão nem um pouco envergonhados porque muitas mulheres excelentes colocam seus filhos de pé de forma independente, que acabam se tornando pessoas não menos importantes. Qual é o segredo deles? Em uma visão mais racional do problema.

mulher cansada com o filho
mulher cansada com o filho

O que uma mãe solteira típica faz? Ela está tentando fazer seu pai falecido passar um tempo com seu filho, mesmo que ele seja um homem terrível, um bêbado e uma pessoa preguiçosa.

Essa pessoa não é capaz de ensinar a uma criança nada de bom, porque devolver um pai ruim à família não é a melhor opção para o desenvolvimento de eventos.

Talvez o pai possa substituir o padrasto? Ótima idéia, mas também tem muitas armadilhas. As pesquisas podem durar mais de um ano, e a psique da criança é formada muito rapidamente.

O padrasto pode não querer se dedicar a um filho de outro homem, ou será um bom amante, mas um mau pai.

Aconselhamos que você use a opção 100% e não questione o potencial do seu filho.

Seu filho não precisa de educação paternal, ele precisa de um exemplo masculino, motivação masculina, ele precisa de um homem que seja seu professor, treinador e mentor.

E o mais importante – não precisa ser a mesma pessoa!

Palavra forte e sem cinto

Em sua vida, além do seu marido, pode haver outros homens – seu pai, irmão, tio ou até sobrinho. Tente compartilhar seus contatos com seu filho.

Pescar, um fim de semana na natureza ou uma simples viagem de cogumelos podem reunir os dois “meninos”.

Se os parentes não puderem dedicar a quantidade adequada de tempo ou atenção ao seu filho, atraia outros homens, tutores e treinadores de seções esportivas, à sua educação. Aqui estão algumas recomendações para a necessária atenção masculina para crianças de diferentes idades:

0-5 anos

De tempos em tempos, basta que o garoto se comunique com os representantes do sexo masculino e observe seu comportamento, principalmente em relação às mulheres.

Deixe seu filho com um avô ou irmão, procure uma babá do sexo masculino e verifique se o menino tem amigos no jardim de infância.

Deseja se inscrever em cursos de inglês ou aulas de música? Tente encontrar um professor do sexo masculino. Aconselhamos que você não se apresse com esportes nessa idade. O futuro homem começará a precisar dele um pouco mais tarde.

Filho com o pai
Filho com o pai

6-10 anos

Seu filho foi para a escola! Agora em sua vida deve aparecer a rotina diária. Esta era é caracterizada pela formação de disciplina e força de vontade.

A pior coisa que você pode fazer pelo seu filho é deixá-lo se tornar um procrastinador preguiçoso.

Como criar um homem? Faça uma programação com seu filho para o dia inteiro, como exemplo, faça o mesmo por si mesmo.

Faça exercícios com ele, tome café da manhã e faça uma caminhada – seu filho não deve se sentir como o único membro ativo da família.

É ótimo se um de seus amigos ou parentes estiver envolvido em esportes – o garoto pode participar de uma corrida ou treinamento de futebol.

Também apóie seu desejo de passar tempo com os amigos, mesmo que você esteja muito preocupado.

11-16 anos

Adolescência … Muito se pode dizer sobre esse período, mas diremos apenas uma coisa: este é o momento mais importante para a formação da personalidade.

Se antes dessa idade na vida do garoto não havia educação masculina, é hora de encontrá-lo. É o que dizem os psicólogos.

A maneira mais fácil e eficaz será o treinamento de artes marciais sob a supervisão de um bom treinador. Isso fará com que o jovem se sinta um homem forte e independente.

E o treinador se tornará seu segundo pai, que sempre ajudará com conselhos e direcionará a crescente força e entusiasmo do garoto na direção certa.

Além disso, as escolas de artes marciais costumam sediar campeonatos e competições. Eles darão ao seu filho não apenas a oportunidade de provar a si mesmo, mas também incutirão nele o desejo de vitória e liderança.

Como educar um garoto de verdade sem essas qualidades? De fato, nada.

Também durante treinamentos e competições, os lutadores fazem muitos amigos que estão prontos para se defender, mesmo nas situações mais difíceis.

17-21 anos

O estágio final de transformar uma criança em adulto. Não é de admirar que 21 anos no Ocidente sejam a maioridade.

Agora, seu filho precisa de um exemplo de um mestre masculino de sua vida. Tente apresentá-lo a um carreirista ou empresário de sucesso.

Se não houver nenhum conhecido, inscreva-o em uma aula de mestre ou em treinamento de autodesenvolvimento.

Tente mostrar a ele o maior número possível de exemplos de herança; não nos concentre nos perdedores, se eles constituem o seu ambiente principal.

Crescer um homem de um menino só é possível pelo exemplo de uma pessoa digna.

Você mora em uma cidade pequena? Tente enviar seu filho para estudar em uma metrópole. Você mora em uma cidade grande? Preste atenção em universidades estrangeiras.

Entre os professores, o jovem encontrará não apenas exemplos de homens dignos, mas também se acostumará à independência, longe da ala carinhosa de sua mãe.

Criança com a mão na boca
Criança com a mão na boca

Menino adulto ainda não é homem

No final da escola, comece a conversar com o garoto como homem. Pare para que ele seja uma mãe onisciente e onisciente, mostre-se uma mulher fraca que precisa de cuidados masculinos.

Essa mudança fará o menino entender que agora ele é o chefe da família e sua mãe não resolverá mais todos os problemas para ele – é hora de obter os recursos necessários.

Sim, você é apegado ao seu filho e ele é a única coisa que dá sentido à sua vida. Mas as crianças crescem e precisam de sua própria vida, seu próprio espaço pessoal.

Liberte seu filho na natação livre, não o domine com hiper-preocupação e aprenda a encontrar significado não apenas em uma criança adulta, mas também no autodesenvolvimento e na construção de sua vida pessoal.

Mais tarde, seu “homem” agradecerá por isso.

Post criado 185

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo