Casal: É sempre necessário dizer tudo ao outro?

Nosso marido para na cama e nos pergunta o que achamos de seu desempenho sexual. Devemos dizer a ele que achamos comum? Ops, como assim? O que devemos ou não dizer ao nosso parceiro (a)?

Casal: É sempre necessário dizer tudo ao outro?

Sim – “Sim, eu vou dizer tudo a ele … mesmo que ele não me pergunte. Caso contrário, pareço estar escondendo algo, o que me deixará infeliz. Em vez de culpá-lo pelo ocorrido, eu faria sugestões, falaria que falta alguns gestos no calor do momento. Isso só poderá fazer bem à vida sexual do casal. ”
Anônima, 41, designer gráfico

Não – “Eu estaria com muito medo de machucá-lo, de fazer ele se sentir incapaz. Se fosse o contrário, se ele me falasse que não sou boa na cama, isso me bloquearia totalmente. Então eu sempre me pergunto se estou fazendo a coisa certa ”. Lucia, 36, dentista

Opinião do sexólogo


“ Em vez de dizer ao nosso parceiro (a) que consideramos seu desempenho padrão, seria mais construtivo para ele conhecer o que nos excita diante dos fatos, o que nos faz gozar, diz Élise Bourque, sexóloga clínica e psicoterapeuta respeitada da França. Se nosso parceiro sabe o que amamos, ele se poderá se concentrar no que nos faz felizes, e assim também ficaria satisfeito. É sempre responsabilidade de todos da relação expressar suas necessidades e preferências, em todos os momentos do casal. ”

Seu parceiro pergunta se você percebeu que ela (ou ele) ganhou peso recentemente (o que é o caso). Você diz a verdade? Sim?

Sim – ” Com certeza, eu digo a ele, mas isso não significa que eu acho menos atraente, que eu não sinto mais atração por ele. Desde que nos casamos, ela e eu ganhamos um pouco de peso a cada ano. Mas isso não muda nada entre nós. Eu o amo muito ainda, mesmo com sua barriga redonda. ” Erica, 46, tradutora.

Não, claro que não! É um assunto delicado para ela, e acredito que seja para todas as mulheres. Ela muitas vezes me pergunta se eu a considero “gorda”, se o cabelo dela está bonito, se eu gosto do jeito que ela se veste, etc. Eu desenvolvi com o passar do tempo a arte de dizer somente o que é preciso. Se ela continua a fazer as mesmas perguntas com outras palavras, eu resisto cordialmente. Se eu lhe disser que ela ganhou peso em pouco tempo, isso poderá levar a comentários como: “Eu sabia, você não me acha mais bonita!” “Você não me ama mais!” E isso durará alguns dias. ” Gilberto, 27 anos, técnico de informática

Opinião do psicólogo


“Uma pessoa que faz esta pergunta está passando por um momento de uma baixa auto-estima, comenta Brigitte Hénault, psicóloga francesa. Não cabe a outra pessoa nos ensinar a amar nosso corpo. Essa é uma questão que deve ser feita a si mesmo. Gilberto deve sempre citar o que o atrai na sua esposa: seu calor, sua espontaneidade, sua alegria, sua honestidade, etc. Há uma diferença gritante entre perguntar se o outro está feliz conosco e pedir-lhes para avaliar nosso físico, nosso corpo. Pode acabar sendo um grande peso para o parceiro (a), e até mesmo arruinar o relacionamento “.

Devemos dizer a ele que seu melhor amigo está tentando nos seduzir?

Essa é uma questão complicada –

Sim “Já aconteceu comigo e eu preferi falar com ele sobre o ocorrido, na hora. Eu não gosto que existam segredos (que serão problemas no futuro) entre nós. Além disso, consegui ver seu lado ciumento (bonitinho). Meu namorado teve conversa (reveladora) com seu amigo e eles continuaram a se ver … longe de mim. Mas eu não gosto desse cara, desde momento. Ele tenta se aproximar de todas as garotas que conhece, entendi que não era um caso meu. Meu namorado o conhece bem a muito tempo, mas ele não acha que ele faria isso comigo. Vamos dizer que agora ele mantém os olhos abertos para todos que se aproximam! ” Luisa, 29, enfermeira

Não – “Eu não diria se isso ocorresse, porque eu não gostaria de prejudicar a amizade deles. Porém, eu teria uma discussão séria com o amigo em questão, onde eu bem explicito algumas coisas: não estou interessado nele e, se ele continuar a fazer tentativas como essa, falaria com meu marido. Cabe a ele para ver se ele está interessado neste relacionamento amigável. ” Judith, 38, empresária

Parecer do psicólogo


“Embora tenham visões opostas, Luisa e Judith indicaram grande respeito pelo cônjuge. Luisa não quer que haja um segredo entre ela e ele, e deixa isso claro no começo da citação. Ao dizer ao marido o que estava acontecendo, ela sabia que corria o risco de acabar com uma amizade, que, no entanto, colocava em risco o relacionamento com seu parceiro. Quanto a Judith, ela respeita a relação entre o marido e o amigo. Ambos determinaram em qual situação eles se sentiram melhor. “

Cansado de sempre ter que pagar as contas, ​​devemos pedir ao nosso cônjuge para encontrar um emprego que paga mais?

Sim – “É muito bom seguir um sonho de carreira, fazer o que sempre sonhou, mas se, depois de alguns anos, ele não te remunerar o suficiente, você precisa seguir em frente. Esse fato permite que você dê um passo atrás na sua carreira e assim revisar seus objetivos. Todos devem fazer sua parte. Se isso não acontecer, o fardo se torna mais pesado sempre para o cônjuge que ganha mais. Isso cria um desequilíbrio de poder, o que pode provocar fraquezas e com o tempo abalar o relacionamento. ” Martine, 30, educadora

Não – “Se ele faz o que ele gosta, sempre sonhou, não vejo como eu poderia perguntar isso a ele. Se ele encontrar um emprego que pague mais, mas não gostar, ficará insatisfeito em pouco tempo, e isso não trará alegria. Eu preferiria sentar e discutir o poderíamos fazer. Talvez pudéssemos cortar alguns gastos bobos, encontrar um emprego para complementar a renda. ” Mirela, 34 anos, cabeleireira

Opinião do psicólogo


“É sempre um belo tópico de discussão na maioria dos casais”, aponta Brigitte Hénault. Para conseguir apenas um pouco mais de segurança financeira, devemos prejudicar a felicidade do nosso cônjuge se ele está feliz no que faz? Não seria egoismo? Se você está morando com alguém que trabalha de forma autônoma, como um artista, por exemplo, você tem que ser realista e aceitar os altos e baixos da profissão. Quando se percebe que você é o responsável por problemas do casal, ​​você tem que se perguntar o que você fez para chegar nesse ponto. Talvez tenhamos colocado muito peso e responsabilidade em nossas costas. Nesse ponto, o casal deve decidir e analisar o que pode fazer para reduzir suas despesas “.

Devemos dizer a sua esposa que tivemos uma aventura sexual?

Sim ” Não posso viver com sigilo, principalmente desse tema, por causa da minha consciência. Se no caso eu tivesse uma aventura, me sentiria muito mal com a minha esposa, 24 horas por dia. Para mim, ter um caso extraconjugal é claramente um sinal de que algo está errado no relacionamento. Eu preciso falar abertamente com ele sobre isso, o mais rápido possível. Eu amo a vida que tenho com minha esposa, e não estou pronta para perder tudo por causa de alguns minutos com outra pessoa “. Cláudio, 40 anos, autônomo

Não “Se esta é uma aventura de uma noite apenas e se eu sinto que nosso relacionamento está bem, eu não vejo por que eu iria machucá-lo, dizendo-lhe os detalhes do que ocorreu. Eu já disse a uma ex-namorada que estava comigo na época que eu tive uma aventura de apenas uma noite, com uma garota desconhecida no exterior. Com o passar do tempo, as coisas se acalmaram e ficamos bem novamente. Porém, ela teve uma aventura, nos mesmos moldes, para se vingar. Ficamos juntos por um tempo ainda, antes de finalmente decidimos nos separar. Muitas vezes me pergunto o que teria acontecido com nossa relação se eu não tivesse revelado nada. ” Guilherme, 41, publicitário

Opinião do psicólogo


“Antes de decidir finalmente se devemos dizer ou não um fato solto no tempo, devemos medir a importância do nosso relacionamento na nossa vida”, explica Brigitte Hénault. E se decidirmos falar, qual é o nosso objetivo com isso? Nos sentimos culpados? Queremos nos livrar dessa culpa? Isso irá evoluir nosso relacionamento? Há, no entanto, o risco de acabar totalmente com o relacionamento. Devemos então assumir as conseqüências de nossas ações passadas. ”

Devemos revelar suas fantasias ao seu cônjuge?

Sim “Pode ser uma maneira de apimentar, melhorar, tirar da rotina nossa vida sexual. Quando você se sente bem ao estar junto com alguém, pode revelar-lhe seus segredos mais íntimos, inclusive os sexuais. Porém, todos temos um receio de fazer isso com um novo parceiro (a). No meu caso, estou esperando para conhecê-la um pouco melhor antes de revelar todas as minhas fantasias para ela. ” Giuliana, 36 anos, jornalista

Não “Na verdade, depende exclusivamente das fantasias. Se eu sei que vai machucá-la, eu com certeza não falaria sobre isso. Por exemplo, se quero fazer amor lembrando de alguma transa passada, não adianta dizer à minha esposa. Isso vai machucá-la com certeza. ” Roberto, 27, representante

Opinião do sexólogo


“As fantasias fazem parte do jardim secreto da nossa consciência”, diz Élise Bourque. Há sim algumas coisas que podemos dizer ao nosso parceiro para melhorar esses momentos, sobre nossas preferências por posições, lugares e contexto envolvido. Isso não irá machucá-lo. Fantasias sexuais não são totalmente livres de culpa; elas quase sempre servem para preencher uma lacuna que falta em nossas vidas, e quase sempre pode ser difícil para o cônjuge entender os desejos. “

Devemos admitir para ele que seu carro foi amassado?

Sim “Eu acho que é sempre melhor colocar as coisas em cima da mesa do que tentar esconder no nosso colo. Isso elimina os conflitos que com certeza irão surgir. Afinal, um carro é apenas metal de folha, vai custar apenas um pouco de dinheiro. O mais importante é que todos estão bem, não há vítimas. Não devemos de jeito nenhum prejudicar a confiança do nosso cônjuge por um acidente sem muita importância. ” Marina, 41, bibliotecária.

Não “No meu caso, seria terrível se eu tivesse que informar ele sobre isso. Para ele, seu carro é muito importante, resultado de anos de trabalho. Ele a considera que é a sua menina dos seus olhos. Ele a preserva, até evita tirá-la da garagem se der para ir de ônibus. Se isso acontecer no meu caso, ele certamente se preocuparia se ninguém tivesse machucado com o problema. Mas depois disso, ele ficaria muito chateado ou mesmo bravo por ter amassado o carro “dele”! Ele com certeza não iria querer emprestar mais para mim. ” Julia, 53, contadora

Opinião do psicólogo


“Honestidade atrai honestidade, em todos os campos do relacionamento”, diz Brigitte Hénault. Ao tentar esconder o que aconteceu, vivemos com o medo constante de sermos pegos, o que não é saudável para todos. Se precisamos esconder esse tipo de problema do nosso cônjuge, talvez devêssemos nos indagar sobre todo o relacionamento. Como Maria disse no nosso campo de comentário, é apenas chapa de metal, afinal. “

Devemos dizer a ele que gastamos R$ 500 por um vestido?

Sim “Eu voto pela sinceridade total no casal, porque não considero dinheiro uma fonte de muitos problemas. Se começa a esconder muitas as coisas, a confiança vai acabando. Eu já presenciei muitas vezes minha avó escondendo coisas, até mesmo pequenas, de seu marido. Eu sempre considerei que isso demonstrava total falta de autoconfiança. A propósito, se conseguimos comprar algo que queremos com nosso próprio dinheiro, estamos apenas fazendo o que queremos. Contudo, ainda é necessário poder pagá-lo de forma autônoma. Mas se isso nos impede de pagar as despesas normais da casa, ai é outra história. Torna-se uma compra precipitada, sem sentido “. Julia, 33 anos, escritora

Não “É o meu dinheiro que estou gastando, sendo assim posso fazer o que eu quero com ele. Minha esposa e eu sempre mantemos cada um com sua conta pessoal e nós abrimos no começo do relacionamento uma conta conjunta para as despesas da casa, que os dois participam. Contanto que você pague a sua parte das despesas de casa, você pode fazer o que quiser com o que sobra, e isso vale para ele também. Eu quero manter minha independência financeira para sempre. Eu já tive um namorado que tirava dinheiro da minha conta se saber, e isso afundou nosso caso. Eu jurei que isso jamais aconteceria novamente comigo “. Amanda, 49, agente imobiliário

Opinião do psicólogo


“Essas duas mulheres não pensam exatamente da mesma maneira, observa Brigitte Hénault. O relacionamento de Julia com seu esposo tem como base o compartilhamento total, focado em igualdade e acima de tudo respeito.

Penso que todos gostariam de saber as despesas maiores do seu parceiro (a). Amanda, por outro lado, decidiu manter sua independência financeira separada. A decisão parece mútua, e pelo visto, não traz problemas ao casal. Porém, é uma pena que, devido a uma experiência ruim passada enfrentada com outro parceiro, não tenhamos a chance de tentar novamente se é possível começar uma relação de total confiança.

Devemos dizer ao nosso cônjuge que não o achamos mais sexualmente atraente?

Sim “Eu acho que, se percebemos que não gostamos mais de alguém, é porque não gostamos mais dessa pessoa. Sendo assim, é melhor não prolongar as coisas, para não machucar mais. Eu deixei meu primeiro namorado exatamente por esse motivo. Quando parei desejar ele fisicamente, resolvi terminar o relacionamento. Talvez nosso relacionamento tenha sido baseado apenas em sexo, apenas na parte física. Então achei melhor nos separamos, mas com certeza não foi fácil. Ele me amava mais do que eu amava, eu penso nisso até hoje. ” Beatrice, 21 anos, estudante

Não “Desde o nascimento de nossa primeira filha, tenho cada vez menos desejo pelo meu marido. Eu entendo que depois de uma gravidez, é normal ter diminuída a Aração sexual reduzida. Mas mesmo depois de três anos, esse sentimento não desapareceu totalmente. Ainda nos damos muito bem como casal, em todas as outras áreas. Eu sei que ainda amo ele, de todo coração. Nós fazemos amor ainda, porém com menos frequência. Eu sempre procuro algumas desculpas quando não estou realmente com vontade. Mas ainda não tive coragem de falar com ele sobre isso. Como dizemos isso ao nosso marido? ” Luisa, 32 anos, assistente administrativo

Sexólogo


“Quando não mais achamos nosso cônjuge atraente, não é necessariamente culpa dele, ou culpa nossa”, disse Elisa Buarque, sexóloga. Há algo em nós que mudou com o passar do tempo, e isso deve ser feito com naturalidade.

Muitas vezes, a culpa é atribuída ao cônjuge ou a algum evento, como a gravidez, como é o caso de Luisa. Exceto depois de três anos, o desejo deveria ter retornado. Geralmente, leva de dois a seis meses após o parto para recuperar totalmente nossa libido. Se ainda tivermos um colapso do desejo, devemos perguntar o que está acontecendo, se há outros motivos. Estamos com medo da intimidade? Neste caso, não sentir o desejo é uma maneira de evitá-lo, e não de se afastar do nosso marido. Se ele não me excita mais, podemos estar passando por dificuldades no relacionamento que não podem ser identificados num primeiro momento. Essas perguntas devem ser respondidas para si antes mesmo de falar com o outro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *