Como escolher um psicólogo?

E como saber se deve consultar um psicólogo ? Em quais casos? Pode realmente me ajudar escolhendo um psicólogo?

Pode ser porque você acha que perdeu totalmente o controle da sua vida. Ou que você está se sentindo deprimido, mesmo que tenha tudo que precisa para ser feliz, mas não entende ou mesmo reconheça. Talvez você precise conversar com um psicólogo. Mas como escolher o caminho certo? Existem terapias que sejam padrão para todos?

Nesse artigo iremos ver algumas dicas para encontrar o melhor psicólogo, de acordo com sua personalidade.

Como escolher um psicólogo

Qual é o objetivo de um psicólogo?


Existem diversas razões para alguém querer se consultar um psicólogo. Mas o objetivo da terapia, não importa qual seja o real motivo da consulta, é sempre entender qual é a dor e como ajudá-la a administrar de forma correta. Você pode procurar uma consulta porque você não consegue mais se comunicar com seu cônjuge de forma sincera, porque você tem fobia de algo irreal, porque você está de luto por uma perda ou porque você está tendo dificuldades para trabalhar de forma eficiente, etc.

Se você decidir consultar um psicologo, no entanto, você já deve saber algo muito importante. Nenhum psicólogo pode garantir plenamente um resultado definitivo, ou qual vai ser a duração exata da sua terapia. Esses dois elementos são impossíveis de prever, e estão estritamente relacionados ao seu comprometimento com o tratamento, sua motivação e a natureza do seu transtorno.

Como escolher um psicólogo?


Antes de tudo, certifique-se de que o psicólogo que você está inclinado a se consultar seja competente, conhecido, e que tenha o conhecimento teórico e prático para ajudá-lo especificamente no seu. Se, logo após as primeiras sessões, você não sentir que algo está mudando dentro de você, talvez fosse bom pensar em mudar de profissional. O fato dele te ouvir bem pode não ser o suficiente para a resolução dos seus problemas. Seus amigos podem te ouvir de bom coração, mas seu psicólogo deve te fazer enfrentar seus medos e te fazer seguir em frente.

Antes de escolher o psicólogo para suas sessões, visite o site da ordem dos psicólogos do Brasil : você encontrará informações sobre todos os membros, como endereços e especializações. Eles são listados de acordo com a região. Isso irá te ajudar a escolher os psicólogos que parecem mais adequados para você, e que estejam mais próximos.

Antes de planejar sua primeira reunião, fale com os profissionais escolhidos mesmo que por mensagens, explique rapidamente seu problema e tente perguntar como eles costumam trabalhar. Após essa primeira mini consulta, escolha o psicólogo com quem você se sentiu mais confortável. Se, mesmo apesar de todas essas precauções primárias, você sentir desconforto durante as reuniões, não esqueça de informar ao seu psicologo.

Logo na primeira sessão, é importante levantar alguns pontos com seu psicologo:

  • Quais são as taxas para cada sessão? Como podem ser pagas?
  • Qual a duração de cada reunião? Qual o tempo aceitável?
  • Com que frequência devo consultar? E nas férias?
  • As reuniões são confidenciais? Deverão sempre ser.
  • Eu terei acesso ao meu arquivo após a terapia?
  • Existe uma política de cancelamento para compromissos? Qual?
  • Os recibos são emitidos?

Se o seu psicólogo é um homem ou uma mulher, isso não deve nem ter impacto sobre o sucesso da terapia. O importante é ter um bom relacionamento de confiança, independente do caso. Porém, você pode se sentir mais confortável com um terapeuta que tenha o mesmo sexo que você. Nesse caso, pense se você conseguirá se abrir.

O que pode atrapalhar sua escolha:

  • O problema que leva você a consultar;
  • A personalidade e experiência do psicólogo;
  • Confiança;


A abordagem terapêutica


Você é a única pessoa que realmente sabe se o psicólogo deve ser o indicado para você, mas é importante escolher também uma abordagem que seja realmente do seu interesse. Ocorre também que algumas abordagens são mais adequadas (e usadas) a um problema do que outras. Deve ser falado com seu profissional qual é o mais importante, e sempre estar confortável com seu psicólogo, de forma calorosa, empática e receptiva. Esses são os critérios que podem terem melhores chances de sucesso.

Abordagem cognitiva / comportamental


Essa abordagem considera que seus problemas psicológicos estão atrelados a pensamentos ou comportamentos incorretos que você aprendeu em seu ambiente cotidiano, sem perceber. Para se livrar desse hábito, o melhor caminho seria você começar novas e mais construtivas atitudes na sua vida. Se você vive com medos ou sofre com transtornos de ansiedade, essa abordagem pode ser indicada para você. Durante esta terapia, seu psicólogo poderá instruí-lo a se tornar consciente de todos seus pensamentos e crenças, e assim substituí-los por julgamentos mais realistas.

Abordagem existencial / humanista


Essa abordagem tem como base realçar sua capacidade de mandar na sua vida e alcançar seus objetivos. Concentra-se mais no momento presente, mas também considerar sua capacidade de ter consciência das suas dificuldades atuais. Seu psicólogo deve identificar sua capacidade de reconhecer suas dificuldades e assim te incentivar a mudar seu modo de ser, ou mesmo mudar de acordo com a necessidade. Isso ajudará você a se auto conhecer e a experimentar novos comportamentos.

Abordagem psicodinâmica / analítica


Essa abordagem tem como base a psicanálise, e se utiliza fortemente da noção de inconsciente. Inicia uma ligação entre as dificuldades atuais e os conflitos reprimidos, e ainda não resolvidos, em toda sua história pessoal. Você é, mesmo se perceber, muito sensível aos sentimentos que vivem em você. Essa abordagem é recomendada, por exemplo, para mulheres que se sentem reprimidas pelo cônjuge. Seu psicólogo poderá te instruir sobre como se conscientizar da influência desses conflitos reprimidos em seu comportamento atual, a fim de permitir sua compreensão e ajudá-lo a evacuá-los.

Abordagem sistêmica / interacional


Essa abordagem considera que seus problemas pessoais são resultados ​​pelo tipo de interação que já existe entre você e seu entorno (família, amigos, colegas, etc.). O objetivo dessa psicoterapia é alterar seus relacionamentos mais problemáticos. Esta abordagem é quase sempre usada para terapias familiares ou terapias para casais.

Não importa qual seja a necessidade ou qual terapia seja a escolhida, sempre haverá um psicólogo que pode ajudá-lo a se libertar do que parece ser intransponível à primeira vista. Desejo de coração boa sorte na busca pela sua serenidade plena de vida!

Fonte 01

Leave a Comment